Pensamento Computacional – II Jornadas Lamego Educa

Os slides que usei ontem nas II Jornadas Lamego Educa como suporte à reflexão sobre o Pensamento Computacional.

Uma vez mais, parabéns a toda a organização.

Continuar a ler Pensamento Computacional – II Jornadas Lamego Educa

II Jornadas Lamego educa

Na próxima sexta-feira estarei (digitalmente) pelo Município de Lamego nas II Jornadas Lamego Educa – Município de Lamego a convite da organização para apresentar uma breve reflexão sobre o Pensamento Computacional, as potencialidades deste pensamento e formas de o desenvolvermos.

O evento que este ano tem precisamente como mote “O Pensamento Computacional, a Transformação Digital e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na Educação”.

Continuar a ler II Jornadas Lamego educa

O PIC.TIC está de volta

Imagem do evento

O PIC.TIC organizado pelo Ccticua está de volta num novo formato -> as PIC.TIC Talks!

As PIC.TIC Talks terão lugar no dia 23 de julho 2021, entre as 14h30 e as 17h30, no Auditório da Livraria da Universidade de Aveiro (limitado a 25 pessoas), e em streaming, constituindo-se como Ação de Curta Duração de 3h, relevante para efeitos de progressão na carreira.

Mais informações em: https://www.ua.pt/pt/cctic/page/14333?fbclid=IwAR0NaFjpxK7qtpY2zJQG7fJ5cOdJMQoUlF2UWa2xChAxRVZwwlPaNJ5UhnI

Tese de Doutoramento no RIA

A minha tese de doutoramento intitulada “A internet das coisas em contextos de educação: tecnologias, potencialidades, desafios e mudanças de paradigmas” já se encontra disponível no Repositório Institucional da Universidade de Aveiro (RIA), sendo possível aceder através do endereço: http://hdl.handle.net/10773/31443

Continuar a ler Tese de Doutoramento no RIA

Oficina Tecnologias Emergentes – Preparem-se pais!

Oficina SafeWeb – Tecnologias Emergentes – Preparem-se pais!

Na passada quinta-feira (8 de abril de 2021), participei, como convidado, numa oficina organizada no âmbito do projeto SafeWeb* e intitulada “Tecnologias Emergentes – Preparem-se pais!”.

O objetivo desta oficina era, essencialmente, dar a conhecer aos encarregados de educação dos participantes do projeto SafeWeb algumas das tecnologias emergentes e os possíveis impactos destas na sociedade. Partindo com esse objetivo, comecei por mostrar que muitas das tecnologias que surgem nos filmes e livros de ficção científica foram já inventadas (mesmo algumas das mais surpreendentes). Na segunda parte da oficina abordei algumas das tecnologias emergentes, mas com uma perspetiva de como é que estas nos poderão a viajar até ao passado e a projetar o futuro com exatidão.

Continuar a ler Oficina Tecnologias Emergentes – Preparem-se pais!

“Ela é azul” – 60 anos do primeiro voo tripulado no espaço.

1961: Yuri Gagarin no espaço | Fatos que marcaram o dia | DW | 12.04.2016
Yuri Gagarin

Há 60 anos, o cosmonauta soviético Yuri Gagarin era o primeiro humano a chegar ao espaço e a orbitar a Terra, numa viagem de 108 minutos, à “boleia” do foguetão Vostok 1, que foi lançado de Baikonur, no atual Cazaquistão.

Laguna_Vostok_1_orbit
Órbita completa da cápsula Vostok 1 (crédito: Space Exploration)
Continuar a ler “Ela é azul” – 60 anos do primeiro voo tripulado no espaço.

O Castelinho de Leça da Palmeira

O “Castelinho” de Leça de Filipe T. Moreira

O “Castelinho” de Leça da Palmeira, em tempos conhecido por “Miramar” foi inicialmente contruído na margem direita do rio Leça, junto à sua foz em 1870. Com a ampliação do porto, que o transformaram num verdadeiro porto comercial, o “Castelinho” foi deslocado para a praia de Leça, onde hoje ainda se situa.
Hoje é apenas uma memória de outros tempos, no entanto, quando foi construído servia para dar “senha” aos barcos de pesca que passavam à vista da costa.

“No dia 21 de Outubro de 1870, pelas 10 horas da manhã, foi inaugurado com toda a solenidade o mira-mares de Leça da Palmeira, a que assistiu a direcção da primeira comissão auxiliadora da Real Sociedade Humanitária local e várias pessoas consideradas, que para esse acto foram entretanto convidadas.
O melhoramento, que ficou a dever-se ao senhor João Pinto de Araújo e por ele custeado na íntegra, é uma obra verdadeiramente filantrópica, que honra aquele senhor e patenteia os seus generosos sentimentos.”
In “Comércio do Porto”