Aftersun (2022)

Um poema em forma de filme!

Vi algures na Internet que “Aftersun” não era um filme, era um sentimento. Não poderia estar mais de acordo.

O “Aftersun” foi escrito e realizado por Charlotte Wells e marca a sua estreia nas longas-metragens (e que estreia).

A história passa-se no final da década de 1990, quando Sophie de 11 anos (interpretada por Frankie Corio) vai de férias para a Turquia com o seu pai. Para ela, terão sido as melhores férias de sempre. As imagens das férias vão sendo intercaladas com imagens de Sophie vinte anos mais velha (com a idade que o seu pai tinha na altura das férias na Turquia) a rever as gravações daqueles momentos mágicos. Percebe-se que algo se passou e que a Sophie de 31 anos tenta encontrar respostas e se reconciliar com a sua história.

O pai é interpretado de forma sublime por Paul Mescal, o que lhe valeu a nomeação para o Óscar de melhor ator. No decorrer do filme, vai-se percebendo que este tenta proteger a Sophie dos seus vícios e problemas. À medida que vai tentando criar um ambiente agradável ara a filha, vamo-nos apercebendo que este trava uma luta interior.

Continuar a ler Aftersun (2022)

A importância de sermos humanos e de humanizar a tecnologia

Recentemente, perguntaram-me quem era Stanislav Petrov e porque havia uma dedicatória a este na minha tese de doutoramento. Bem, surpreendeu-me mais o facto de lerem a minha tese do que propriamente a pergunta em si.

Apesar de vários textos, menções, prémios e um filme documentário (que partilho no final do texto), Stanislav Petrov não é propriamente conhecido das massas. Isto, apesar de ter participado e ter exercido influência num acontecimento que envolveu o destino da humanidade. Podemos vê-lo como um anti-herói, em certa medida.

Stanislav Petrov: The Man Who Saved the World from Nuclear War
Stanislav Petrov em sua casa, Juliet Butler / Alamy Stock Photo

A 26 de setembro de 1983, Stanislav Petrov (1939-2017), então Tenente-Coronel, era o oficial serviço em Serpukhov-15. O centro militar Serpukhov-15 situa-se perto de Moscovo e albergava o centro de comando de satélites de alerta soviéticos, com o nome de código Oko. Os satélites Oko foram desenvolvidos para identificar lançamentos de mísseis balísticos através da deteção da pluma de escape dos motores e complementam outras instalações de alerta precoce, tais como radares Voronezh, Daryal e Dnepr. A informação fornecida por estes sensores pode ser utilizada para o sistema de mísseis antibalísticos A-135 que defende Moscovo. Tendo este sistema soviético sido substituído em 2015 (https://flb.ru/info/27637.html)

Durante o seu serviço, naquele que parecia ser mais um dia normal, o referido sistema de satélites que monitorizava a ação dos EUA (nomeadamente eventuais lançamentos de mísseis do espaço) fez disparar o alarme. Alertando para o lançamento de um míssil nuclear contra a URSS com origem no EUA.

Continuar a ler A importância de sermos humanos e de humanizar a tecnologia

Entrevista no “Tudo menos alguma coisa”

Aqui fica a entrevista no programa “Tudo menos alguma coisa” de Renato Ferreira na Rádio Clube da Feira (18 de junho de 2022).

O mote de partida foi a publicação do “A odisseia do Zeca”, mas durante quase uma hora fez-se jus ao nome do programa e abordámos outros temas, como a filosofia da tecnologia e o comentário político.

Especial agradecimento ao Renato pelo convite e simpatia.